março 2013


O video foi o primeiro passo do processo  do solo. O encontro com Renato Mangolin e com Guilherme Stutz , meu filho e com a carta da minha mãe. 

Às vezes, parece-me que sua voz chega de longe até mim, enquanto sou prisioneiro de um presente vistoso e invisível,no qual todas as formas de convivência humana atingiram o ponto extremo de seu ciclo e é impossível imaginar quais as novas formas que assumirão. E escuto, por intermédio de sua voz, as razões invisíveis pelas quais existiam as cidades e talvez pelas quais, após a morte, voltarão a existir.  ( Italo Calvino, Cidades Invisíveis)

Agora é a tarefa  de abrir o trabalho.  Vou me colocar diante do  outro,  me encontrar  entre  o que desejei que fosse e  a dura realidade do que pude fazer. Imagem

 

Estou agora bordando as palavras e os movimentos que já existem