“Desejando sempre, no intimo manter-me estranha e estrangeira (afasto sempre a horizontal homogenizacao dos grupos) descubro que esta realidade de grupo finalmente criou uma constituicao  interna e um sentido. – é espontaneamente original: nao somos uma comunidade, somos uma sucessao, uma ordem.                                                                                             Eu sou o que se sucede aquele,aquele é o que vem antes de mim. Estamos ligados por uma coerencia, nao por uma identidade.”

(Maria Gabriela LLansol9

Anúncios